O Mar!
Cercando prendendo as nossas Ilhas!
Deixando o esmalte do seu salitre nas faces dos pescadores,
roncando nas areias das nossas praias, batendo a sua voz de encontro aos montes,
… deixando nos olhos dos que ficaram a nostalgia resignada de países distantes …
… Este convite de toda a hora que o Mar nos faz para a evasão!
Este desespero de querer partir e ter que ficar! …
— Poema do Mar, Jorge Barbosa

Maninho de Burgos, Henrique Morazzo e Cónego Teixeira – Foram os precursores do Racionalismo Cristão em Cabo Verde, por Martinho de Mello Andrade

Limpeza Psíquica
Augusto Messias de Burgos, popularmente chamado de Maninho de Burgos, cabo-verdiano, aquando da sua estadia no Brasil foi a figura de proa como médium elegido pelo espírito de Padre António Vieira, para transmitir nesse pequeno centro, novos ideais a Luís de Mattos e Luis Alves Thomaz.

É voz corrente, tanto no Brasil quanto em Cabo Verde, que o cabo-verdiano Maninho de Burgos, foi um dos protagonistas na fundação do Centro Amor e Caridade de Santos, cujo guia Astral era o Padre António Vieira, e que ele, Maninho de Burgos era o instrumento mediúnico do espírito do Doutor Custódio José Duarte.

Portanto, vivenciou com os mestres, os principais momentos da fundação da Doutrina Racionalista Cristã no mundo Terra.
Fatos que o elegeram para acompanhar o navio procedente de Santos, Brasil, que trazia géneros alimentícios doados pelo Centro Amor e Caridade de Santos, em auxílio para aliviar a fome que no início do século afligia o povo de Cabo Verde.

Foi assim que o Racionalismo Cristão, através de Maninho de Burgos, em 1911, chegou em Mindelo, Ilha de São Vicente, Cabo Verde, onde manteve o primeiro contato com o armador local, Geobata Morazzo, conhecido como Nhô Baptista, italiano, que também era carpinteiro naval, chegando a ser proprietário de 17 veleiros. Eis que Nhô Baptista prontamente ofereceu um dos seus barcos para distribuir os alimentos entre as ilhas, que os levaram a trocar impressões sobre o Racionalismo Cristão, nascendo uma forte amizade entre ambos.
O filho de Geobata Morazzo, Henrique Baptista Morazzo, nasceu em São Vicente, no dia 06 de novembro de 1885 e desencarnou em 1967.

Por volta de seus 25 anos, acompanhou Maninho de Burgos nas viagens entre ilhas, na distribuição do carregamento de mantimentos arrecadados entre a população de Santos, sendo uma boa parte doada pelo humanista e filantrópico, Luís Alves Tomaz.

O fato é que, Henrique Baptista Morazzo adoeceu muito grave, tendo sido, segundo dizem, Maninho de Burgos, ao aportar providencialmente, nesse ano de 1911, em São Vicente, foi quem o curou de uma tuberculose, aliada a outras doenças de origem psíquica.

Entrementes, aconselhou a Geobata Morazzo a enviar o seu filho Henrique Morazzo, ao Brasil, para se curar psiquicamente, sob a égide de Luís de Mattos.

Henrique Baptista Morazzo foi bem recebido por Luís de Mattos, que veio a simpatizar-se muito com ele, pois Henrique possuía várias faculdades afloradas, nomeadamente: auditiva, vidência, psicográfica e a intuitiva bem apurada.

Luís de Mattos muito o admirava, pela sua facilidade em assimilar os ensinamentos sobre a espiritualidade. Henrique Baptista Morazzo se dedicou tanto pela doutrina, que escreveu ao pai, Geobata, que queria ficar com Luís de Mattos mais algum tempo a fim de adquirir mais conhecimentos da doutrina.

Poucos meses com o Mestre Luis de Mattos, ficou radicalmente curado e após retornar a Cabo Verde, voltou mais três vezes ao Brasil e entre idas e vindas Henrique Baptista Morazzo, para completar seus estudos com Luís de Mattos, permaneceu cerca de 2 anos, entre 1917 e 1919. 

Numa dessas idas ao Brasil, Henrique fez-se acompanhar da sua irmã, Catarina Morazzo, a fim de se desenvolver para médium, pois que tinha mediunidade para isso. Desenvolveu-se e fez-se um médium de alto gabarito; receitava como o irmão Henrique e transmitia espíritos de alta linhagem espiritual, tais como Sócrates, Platão, entre outros.

Portanto, em 1911, Maninho de Burgos também manteve contato com o Cónego Teixeira, que para além de ser religioso, era Professor de várias matérias, entre elas, latim, matemática, música e outras no Liceu de São Vicente. 

Nessa sequência dos fatos, sabe-se que, Maninho de Burgos fazia sessão psíquica em São Vicente, das quais o Cónego Teixeira participava e que também passou a processar cura mediúnica através da imposição das mãos, junto de preces a Deus.

Fato que tornou Cónego António Manuel da Costa Teixeira, nascido em Santo Antão, popularmente conhecido como Cónego Teixeira, extremamente interessado pela Doutrina, que o levou a trocar uma série de cartas com Luís de Mattos, e a partir dessas cartas, Cónego Teixeira fortaleceu a Doutrina em Cabo Verde.

Assim Cónego Teixeira, foi o primeiro que anunciou o Racionalismo Cristão, de lança em riste, através de uma carta de 02 de setembro de 1912, dirigida ao Papa, o que lhe valeu a excomunhão.

Desta feita, Henrique Baptista Morazzo foi o terreno fértil que recebeu a semente fecunda do espiritualismo racional e científico, levando-o a fundar o Racionalismo Cristão, provisoriamente em sua casa no ano de 1927.

Nestas circunstâncias, HENRIQUE BAPTISTA MORAZZO, foi o Fundador do Racionalismo Cristão em São Vicente, Cidade do Mindelo, e pelas curas que fez, ficou conhecido em Cabo Verde, como médium curador. Curou centenas de doenças dadas por incuráveis pela medicina convencional, a pessoas de vários níveis sociais, tendo feito prodígios de cura psíquica e a desobsessão de muitos indivíduos.

O nome dele é muito estimado em Cabo Verde. Passava receitas de ervas, xaropes e de cozimento 8, à noite e as pessoas iam tomá-las no dia seguinte às 11 horas, intervalo em que ele vinha à casa para o almoço. Aconteceu, porém, que, eu mesmo, Martinho, em 1948 tive icterícia, consultei-o e ele passou-me o que se segue: miolo de pão com mel de abelha e couves cozidas insossas, o que me pôs bom. Portanto disso sou testemunha presencial.

Assim sendo, concluiu-se que Maninho de Burgos trouxe a semente ao terreno fértil de Cabo Verde, muito bem plantada, e, quem a germinou foi Henrique Baptista Morazzo; dizia-me, que foi ele quem trouxe a Luz do Racionalismo Cristão para Cabo Verde. Eu, Martinho de Mello Andrade, de criança convivi muito com Henrique Baptista Morazzo, pois ele trabalhava juntamente com o meu saudoso pai, André Miguel Andrade, na Companhia Cory - Brothers, que pertencia aos ingleses.

Somente nos resta concluir que passados um pouco mais de 100 anos, conseguimos perceber claramente a importância da vinda de Augusto Messias de Burgos a Cabo Verde. Ao qual tenho o privilégio de perguntar, e se fosse outro ser? Teria coragem de conversar de fronte erguida sobre a espiritualidade, ou ter-se-ia limitado apenas a entregar os alimentos e voltar?

Mas em 1911, Augusto Messias de Burgos ao sair de Santos, gozava da confiança dos investigadores: Luiz de Mattos e Luis Alves Tomaz, o que em sua consciência lhe permitiu extender sua estada em Cabo Verde por mais alguns meses, e contribuir para uma das mais belas páginas na história do Racionalismo Cristão para evolução da humanidade, e hoje temos além de várias casas racionalistas cristãs distribuídas pelos quatro cantos do mundo. Estamos em 7 das 9 ilhas ilhas de Cabo Verde, num total de vinte e oito Casas. Também podemos dizer que o Racionalismo Cristão está presente em vários países graças a essa semente e aos esforços colimados do Astral Superior através de empenhados estudiosos Cabo-verdianos que o seguiram.

Conheça: Burgospedia - Comunidade Burgalesa

Sobre o autor Martinho de Mello Andrade

Filho de André Miguel Andrade e de Isabel Nobre de Mello nasceu em 12 de novembro de 1933, no Campinho, ilha de São Nicolau e transferiu sua residência para São Vicente, após concluir a instrução Primária no ano de 1947
Dedicou sua vida ao serviço público e, atualmente é reformado.
Como escritor e poeta utiliza-se dos pseudónimos: Marmellande, Miguel Bartolomeu e Isandre
BIBLIOGRAFIA:
Colaborador dos jornais: A Razão (Brasil), A Semana, Correio de São Jorge (Açores), Horizonte, Novo Jornal, Notícias, Terra Nova, Thuba (USA) e Voz do Povo
REVISTAS:
Artiletra, Fraternidade (Portugal) e Presença Crioula/Cabo-verdiana
ANTOLOGIA:
Contravento e Across Atlantic.
OBRAS PUBLICADAS:
Drama de uma Família Cabo-verdiana, Queda do Artigo Quarto, Embaixatriz, Ilha de São Nicolau - Memórias, Pão do Espírito, Aurora Espiritual, A Chave do Cadáver e "Porque Sou Racionalista Cristão"
Em preparação: Poemas Oportunos
Conhecimento proficiente nas línguas: inglês e francês
Conhecimentos básicos em latim, grego, espanhol e italiano



Poderá gostar de conhecer: