O Mar!
Cercando prendendo as nossas Ilhas!
Deixando o esmalte do seu salitre nas faces dos pescadores,
roncando nas areias das nossas praias, batendo a sua voz de encontro aos montes,
… deixando nos olhos dos que ficaram a nostalgia resignada de países distantes …
… Este convite de toda a hora que o Mar nos faz para a evasão!
Este desespero de querer partir e ter que ficar! …
— Poema do Mar, Jorge Barbosa

A descoberta de Cabo Verde

O Infante Dom Henrique — 04/03/1394 - 13/11/1460 — em sua vida acumulou um passado histórico de descobertas, conquistas e fracassos, (Madeira 1418 e Açores 1427), porém a partir da morte de D. João I, Dom Duarte seu filho mais velho, irmão de D. Henrique, ao subir ao trono, entregou a Dom Henrique um quinto de todos os proveitos comerciais com as zonas já descobertas e somou a este o direito de explorar além do Cabo Bojador.
Estes momentos relevantes empurraram Portugal a novas descobertas.

O Cabo Bojador (descoberto em 1434) era o grande desafio, e com a construção de um novo modelo de embarcação,  a caravela, as expedições adquiriram novo grande impulso. Assim a costa da África, depois do Cabo Bojador, foi sendo transposta, Cabo Branco foi atingido em 1436, Cabo Verde (África) 1445.

Na década de 1450, descobriu-se as Ilhas de Cabo Verde.
Decorria a década de 1450, quando o Infante Dom Henrique ordenou a Diogo Gomes que regressasse ao Reino de Portugal, finda a sua bem-sucedida missão diplomática aos Povos da Guiné.
 
Levados por fortes correntes de ventos, as caravelas navegavam a cerca de 500 quilômetros da Costa da Senegambia, quando avistaram terra.

Instado por Antônio da Nola que seguia na expedição, fez-se a aproximação e o desembarque numa grande ilha a que chamaram de São Tiago, em homenagem ao santo padroeiro daquele dia. Foi no local hoje denominado Cidade Velha onde os Portugueses pisaram o chão deste magnífico arquipélago de Cabo Verde pela primeira vez.


Estava assim descoberta a primeira das dez Ilhas e de alguns Ilhéus que viriam completar, dois anos depois, o Arquipélago de Cabo Verde.

Portanto, em 1460, a costa da África já estava explorada até ao que é hoje a Serra Leoa, e em 13 de novembro desse mesmo ano, aos 66 anos morre Dom Henrique. 
 
As ilhas foram encontradas desabitadas, e quinhentos anos depois, os poetas cabo-verdianos Jorge Barbosa e Cajuca Pereira a versam com a mesma fascinação do primeiro dia.



"Quando o descobridor chegou à primeira Ilha,
Nem homens nus, nem mulheres nuas,
Espreitando inocentes e medrosos, detrás da vegetação
"

"Mas sim, altos cumes rasgando céus
Planícies rasas de solo salgado
Praias negras de vômitos vulcânicos
Paisagens virgens, verdes vertentes
Rochas nuas cortadas a pique
."



Fontes: