O Mar!
Cercando prendendo as nossas Ilhas!
Deixando o esmalte do seu salitre nas faces dos pescadores,
roncando nas areias das nossas praias, batendo a sua voz de encontro aos montes,
… deixando nos olhos dos que ficaram a nostalgia resignada de países distantes …
… Este convite de toda a hora que o Mar nos faz para a evasão!
Este desespero de querer partir e ter que ficar! …
— Poema do Mar, Jorge Barbosa

Comunidade Caboverdiana, um incentivo de paz para 2014

Uma vez mais, estou direccionando algumas palavras carregadas de muito Amor espiritual e de muito bem-querer, à todos aqueles que cessam este Blog “Cabo Verde é Vida”, sobretudo a comunidade Caboverdiana, numa conjuntura mundial de tantos enigmas, em que todos perguntam o que será o dia de amanhã, num mundo conturbado, onde se pode perceber que a espiritualidade deixa muito a desejar, infelizmente, ainda impera a lei da força, onde que os mais fracos são espezinhados, manipulados e ignorados.

Enfim, vivemos num mundo de contrastes, como se uns são humanos e outros não; como se uns existem para serem escravos e outros senhores. Este quadro negro que tentei desenhar do mundo que vivemos, não é novidade para ninguém. Pergunto, o que fazer para alterar esta situação? O que fazer para trazer amenização a este mundo de sofrimentos e de dores? O que fazer para que todos sejam livres, como seres humanos respeitados na sua essência? Amigos o que fazer? Com estas questões, eu vos desafio para este 2014.

Para aqueles que são racionalistas cristãos, que conhecem o Racionalismo Cristão; que conhecem a sua essência espiritual (como princípio Inteligente e matéria), poderão fazer mais para mudar este mundo, porque sabem porque estão neste mundo e o que devem fazer.

Independentemente daqueles que são “racionalistas”, ou não, todos nós, como seres humanos, como habitantes deste planeta, temos o dever de sermos solidários com os nossos irmãos em essência, e colaborar para que tenhamos um mundo de paz, de mais tolerância e de mais compreensão.

Pois, os homens devem entender de uma vez por todas, que não se pode viver de forma isolada, que há uma interdependência obrigatória; todos são importantes. Por isso, que existem direitos e deveres que são iguais para todos.

Após este pequeno preambulo, incito à todos que meditem e reflictam o que podem fazer para este ano, não só para si como também para este mundo que vivemos. Mas se nós queremos trazer mudanças positivas para os espaços que nós vivenciamos e para o mundo de uma forma geral, temos que primeiramente começar por mudar à nós mesmos. Volto a sublinhar, a mudança deve começar de dentro para fora.

Para terminar esta pequena mensagem, espero que neste 2014, consigam efectivar todos os vossos objectivos e anseios, esteados na força do pensamento voltado sempre para o bem, com a sempre boa aliada - força de vontade, que deve ser firme, pois o desânimo não deve existir, senão será impossível concretizar as metas e os projectos, portanto ser um vencedor.

Comunidade Caboverdiana, um incentivo de paz para 2014
Por Professor Alcides João Ramos

Poderá gostar de conhecer: