O Mar!
Cercando prendendo as nossas Ilhas!
Deixando o esmalte do seu salitre nas faces dos pescadores,
roncando nas areias das nossas praias, batendo a sua voz de encontro aos montes,
… deixando nos olhos dos que ficaram a nostalgia resignada de países distantes …
… Este convite de toda a hora que o Mar nos faz para a evasão!
Este desespero de querer partir e ter que ficar! …
— Poema do Mar, Jorge Barbosa

A irrevogável ordem de evoluir

Livro Trajetória Evolutiva de Felino Alves de Jesus - Biblioteca digital do Racionalismo CristãoVida Inteligente Universal designa o mesmo que princípio inteligente, Grande Foco, Força Criadora e Inteligência Universal. O princípio inteligente é um valor absoluto, onde todos os atributos espirituais, sem exceção, estão completamente desenvolvidos ou evoluídos.

Logo, o processo obrigatório de evoluir não diz respeito ao princípio inteligente em si mesmo, como um todo, mas, sim, basicamente às suas frações ínfimas, frequentemente designadas por partículas da Força Criadora, ou indivíduos, do ponto de vista da natureza substancial ou subjacente do Universo. Não obstante, esse processo se faz,

Livro A Morte Não Interrompe a Vida de Luiz de Souza – Biblioteca Digital do Racionaliusmo Cristãona base da interdependência de uns para com os outros, na esfera da relatividade” por Luiz de Souza, Livro A Morte não interrompe A Vida

A ordem de evoluir - predeterminada irrevogavelmente pelo Grande Foco para os seus indivíduos - pode ser analisada em três grandes períodos:

I – Do ato de partida da partícula involuída até ao reino animal inferior;

II – Travessia do reino hominal, que é o pior período, em que o indivíduo reencarna um maior ou menor número de vezes;

III – Continuação da evolução em plano astral superior, onde o corpo físico não faz falta ao espírito para dar continuidade à sua evolução. 
 
No Racionalismo Cristão é frequente o uso da palavra princípio (s). O mesmo acontece em várias áreas da Filosofia. No entanto, todos esses usos específicos reduzem-se a dois usos gerais:  
                          
a) Princípio constitutivo, constituinte, ou construtivo - alguma coisa primeira (A) de que decorre ou provém alguma outra coisa (B) com aquela relacionada;

b) Princípio diretriz, norteante ou regente - alguma coisa primeira (A) que serve de diretriz, ou que desenha a matriz, do que deverá cumprir alguma outra coisa (B), como condição-chave, ou critério, para esta ser considerada mais ou menos válida, ou então rejeitada.

Se, remontando sucessivamente de uma coisa posterior para alguma outra anterior, com aquela relacionada, conseguirmos chegar a um último princípio, deste dir-se-á que é um princípio fundamental, ou irredutível.

Exemplos:

“As proporções dos princípios que entram na composição do açúcar” (Lavoisier);

Então, ir para a frente era o único princípio da sua vida.
Livro base do Racionalismo Cristão - Luís de Mattos - Biblioteca digital do Racionalismo Cristão

Assim, pois, seguros de não conseguirmos compreender, materialmente, aquilo que só nosso futuro progresso espiritual nos permitirá apreender, tratemos de pôr em prática os ensinamentos que dilatarão o nosso campo de lucidez espiritual, saibamos obedecer às relações que unem os dois únicos Princípios existentes no Universo – o Princípio-Força e o Princípio-Matéria” por Felino Alves de Jesus, Livro Trajetória Evolutiva

O processo de evolução dos indivíduos encontra uma analogia, por exemplo, no desabrochar da semente, que brota para transformar-se numa flor. Trata-se apenas de uma analogia elucidativa, nada mais que isso. É que o indivíduo não se transforma num indivíduo evoluído, visto que a sua individualidade nunca se desintegra ao longo da sua interminável trajetória evolutiva, o que não se aplica à semente e à flor — estruturas transitórias do processo total de evoluir, formadas por agregação e organização de energias materiais e que, infalivelmente, entrarão em desagregação, na trajetória de um ciclo.

O que, no indivíduo, vai brotando ou aflorando de si, mais e mais, é uma crescente intensidade vibracional, é a auto consciência, é a consciência das coisas do seu meio envolvente, é a consciência da sua comunhão com o Princípio Inteligente Uno, Integral e Total — o todo a que ele pertence — é a consciência das leis naturais e imutáveis que regem tudo, etc.

Tanto na constituição dos sistemas estelares quanto na estruturação das partículas atômicas, a Força Criadora age segundo uma linha de ação construtiva, configurada pelo sistema dos princípios naturais e imutáveis, em que, gradativamente, vão-se acentuando as vibrações da vida e se intensificando as manifestações da inteligência...” Luís de Mattos

e,

Livro A Inteligência Universal e as Leis Eternas de Francisco da Cruz Évora“...à medida que cresce a intensidade de vibração do espírito, vai diminuindo a possibilidade de ele deixar-se empolgar pelas correntes vibratórias de inferior espécie e de praticar ações que a consciência reprove...” Luís de Mattos